2008/06/30

A Atmosfera


Quase que deixava propositadamente passar as horas à espera do dia dia seguinte, dia que ansiava por estes apontamentos de pele alva. Sossegado, esperei que o dia se transformasse em noite, para tornar o meu cérebro alegremente espantado pelas abertas radiações solares do dia que se fez e, pela noite que ainda assimilava tal nudez.

À certa altura, procurava uma palavra certa, um termo adequado, mas nenhum deles me surgiu, apenas o gesto directo e honesto, como se um poderoso encantamento me dominasse ao mesmo tempo que o meu coração batia no interior do meu peito, como se um trovão rasgasse as nuvens que pairavam entre a atmosfera e a Terra.

Lua e mar como testemunhas, todo o brilhante cenário se transformara em maravilhosos momentos, plenos de melodia, no limiar entre dois mundos.

[dedicado à Humanidade, by Kraak, 2005, Viagens de Comboio pelo Mar, 1965-20XX]

4 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

o teu sentido de humanidade é tão raro...meu querido C.


tão bom mas tão bom re.ver.te.

Só tu me farias descer escadas como uma criança...:)


adoro.te-!

sempre em linha ascendente.

obrigada pela música e pela noite e pela amizade....

beijos. mil.

Carla disse...

absorvi o riso da atmosfera...afinal há melodias especiais
beijos

Kraak disse...

Isabel Mendes Ferreira :) Obrigado, minha querida. Tu agora é que disseste tudo. Mas olha, infelizmente, vou deixando cada vez mais de ter esse sentido a que te referes... :S

Também gostei MUITO da tua presença! E foi lindo desceres aquelas escadas :)))

Bjzz ascendentes

Kraak disse...

Carla :) Também eu absorvi... mas foi há 3 anos atrás, quando ainda havia muitas melodias especiais. Hoje só restam "pleasure songs" que guardo atmosfericamente para mim.

Bjzz absorvidos :)