2005/03/15

O Que Sou Hoje?



Zero. O que posso tornar-me amanhã?
Amanhã posso renascer dos mortos e começar a viver de novo!
Posso ressuscitar o homem em mim, enquanto não se perder completamente!


(Fiódor Dostoievski)

4 comentários:

Anónimo disse...

um momento zen...
trata as coisas de uma forma positiva, provoca-lhes a mudança ao aceitar-las, aceita confiantemente, nunca com uma negativa...
se por um momento pararmos para filosofar e pensar acerca da vida, ela move-se e a realidade viva do momento perde-se...
nao penses demais... simplesmente vive e sente...

menina azul

N * disse...

NÃO SABEMOS

Não sabemos nada, e o que temos
é pouco: um nome,
um nome em prosa correntia;
tão pequeno que nem sequer
alcança o ramo
em flor da tília; menos ainda
a estrela do pastor;
um nome comum, Joaquim
António João,
bom para dizer quando o frio
é mais duro;
nome que bebe o orvalho
nos olhos de amigos mortos
tão cedo; ou perdidos.

Eugénio de Andrade

Anónimo disse...

Sinto a chuva e o sol cá dentro...
Neste turbilhão de sentimentos...
O Amor permanece...
Desencantada, febril...
Caío no abismo do sofrimento...
O meu sorriso derretido rola nas vidraças...
Sou um pobre Palhaço sem Palco...
No nada...nado para não me afogar!

Um abraço do Mundo que só os
Peixes conhecem ...

18 Março, 2005 13:56

ti_a_u disse...

Um grande texto... Estava mesmo a questionar-me nesse sentido: O que sou hoje? O que posso ser amanhã?

Na verdade, o que posso ser é diferente do que consigo ser... Por vezes falta força para "ressuscitar" e outras vezes há partes de nós que se perdem no caminho...