2007/08/08

A Morte Não Tem Fotografia

Estarei eu preparado para a morte? Há pessoas que têm medo dela. Eu sinceramente não sei se tenho medo ou da vida ou da morte. A morte é um estado sereno. A vida nem sempre é serena. Toda a cultura ocidental vê o fim da vida como algo que se acaba, que se perde.

Esta madrugada estive ao telefone com uma grande amiga. A Ana Lúcia. Falávamos precisamente sobre o falecimento do seu pai, facto que ocorreu há uma semana. Se para ela é muito difícil, para a sua mãe, mais difícil se torna. Tudo passa. O tempo ajuda. O que sobra?

Ainda ontem respondi a um comentário sobre o tema: a minha idade começa a ser crítica em relação a pessoas muito próximas. Estarei eu efectivamente preparado para tal?

A seguir ao almoço, recebo de repente a notícia da morte de um ex-director meu. Fulminante. Finou-se em 4 meses. Estou chateado. Já estava triste de manhã. Pior fiquei durante a tarde. Ainda ontem à noite também melancólico estava ao lembrar-me do pai da minha grande amiga Ana e no que ela e a mãe estariam a passar.

Até onde vai a dimensão da morte? Até onde vai a experiência da vida? Será isto um paradoxo? Um dilema? Uma dúvida? Um axioma? Um teorema? O meu ex-director, sempre tão forte, tão frontal, tão blindado, não foi capaz de combater a morte, apesar de toda a sua resistência. E o pai da Ana Lúcia? Tão católico que era, estaria ele apto a aceitar tal destino? A religião ensinou-lhe que seria assim?

(E de repente, lembro-me do Brac, do meu tio que faleceu ano passado, da minha prima passada à ferro na A2, dos pais do Quim, do meu colega de faculdade e amigo Paulo, ...)

Eu não sei, mas acho que tenho que cortar os meus pulsos para recuperar a minha voz.

Este post não é ilustrado... a morte não tem fotografia.

17 comentários:

extravaganza disse...

Já é o 2º blog que visito no espaço de meia hora que fala em morte. Isto é que é pontaria, hã?

Ainda ontem estive para fazer um post sobre o tema mas achei-o demasiado pesado. Isto a propósito de ter recebido a notícia da morte de uma colega minha de faculdade. Da minha idade. Fiquei impressionada. Ainda estou, aliás.

Aliás, ainda ando desde que o meu tio morreu na 2ª feira de Carnaval deste ano, depois daquele trágico acidente.

Ai! Se há coisa que se tem que contrariar, é isto! (E às vezes os namorados também :P)

extravaganza disse...

Pronto, acabei por te dedicar o post e tudo! :))

Olha, vamos mas é beber as garrafitas da vinhaça... :P

LisbonGirl disse...

Garrafitas de bom tinto já! Grande e profunda tristeza que paira aqui neste post! O melhor tributo que se pode prestar a quem já partiu é gostar de viver! Muito! com muita intensidade! Coragem camaradas!:))

Gostei bastante dos vossos relatos do Sudueste! :))

Abraço!

Caracolinha disse...

Xiça Kraak ... sabes que da mesma forma que a morte não tem rosto a emoção por vezes também nos rouba as palaveras ...

A única coisa que se me oferece dizer é que o silêncio também fala e que cada vez admiro mais a pessoa que és ...

Viver e deixar viver em pleno enquanto há vida ... depois disso é a eterna incógnita ... a única certeza com que se nasce ... :)

Curto-te bué kraak ... toda a força para lembrar sempre aqueles que ficarão connosco para sempre porque de dentro do nosso coração ninguém tura nada ...

Beijo encaracoladamente orgulhoso por te ter conhecido rapaz e super emocionado !!!!

extravaganza disse...

Lisbongirl, thanks pela parte que me toca! :)

extravaganza disse...

Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura, Paredes de Coura.

:))

Vai lá ter comigo, estarei lá eu, o amor e as vacas!!

Kraak/Peixinho disse...

Extravaganza :) É o que eu digo: anda uma onda de falecimentos por aí. Já naum és a 1ª a falar-me de tal. Que coisa estranha, naum?

Poça!

Obrigado pelo post! És linda.

PCoura? Outra vez? NAUM. NAUM.

Olha lá... tu, o amor? de quem? o teu? (isto ainda entendo), mas... quais vacas?

Sexo, Mentiras e Vídeo? Onde é que as vacas se inserem? :P

HAHAHA.

Bjzz cinematográficos

Kraak/Peixinho disse...

Lisbon Girl :) Também acho. As garrafas já deveriam estar cá deste lado... afinal foi o MEU carro que as transportou para lá e para cá.

Ainda por cima, nesta minha fase, meio tinta... Hum.

Obrigado pelo comentário e pelo elogio aos relatos. A Extravaganza é perita em excelentes relatos. Aproveita e vê também alguns relatos do Randomsailor.

Bjzz vindos do Sudoeste

Kraak/Peixinho disse...

Caracolinha :) WEEE, queridona!!! Obrigado pelas tuas palavras: és uma fixe! Obrigado também pelos elogios... fico babado com os teus comentários, hehe :)

Naum sei se já viste os versinhos que fiz sobre o teu poema no blog do Mocho. LOL.

Por essas e por outras é que temos que combater esta nossa incógnita da vida ou da morte, naum achas?

Um beijo enorme e obrigado também por te conhecer :)

Bjzz vagarosinhos

extravaganza disse...

ATÃO, JÁ FIZESTE A MALA?!?!?

Oh Kraak, eu, o amor e as vacas é simples: eu sou um amor e vou para o campo onde há vacas... Alô, toc toc toc... anybody home???

:P

Kraak/Peixinho disse...

Extravaganza :) Malas?? Eu só vou à Polónia em Setembro, minha querida. Worry not!

Vacas? Com quantas patas?

Bjzz indecifráveis
:P

extravaganza disse...

A mala para irmos a Paredes de Coura :)

Acabei agora a minha e digo-te já, não sei se aquilo não rebentará durante a noite de tão atafulhada que está... ahahahahah

Ok, então quando chegares lá acima, liga-me. Beijos!

LisbonGirl disse...

Kraak, pira-te já,já,já,já,já para Paredes de Coura! É uma Ordem Cósmica! Vaquinhas, o verde, um amor assim tão docemente oferecido!

Extravaganza: de nada!
Oh meu deus, que homem difícil!!!!...;))

Kraak/Peixinho disse...

Extravaganza :) Já disse que NAUM vou. E desta vez é a sério, LOL. Naum sei para que levas a mala tão atafulhada de coisas... :Z

Bjzz rebentados

Kraak/Peixinho disse...

Lisbon Girl :) NAUM! NEIN! NO! NEE! Se fosse a Paredes era pela música e naum pelas vaquinhas, hehe :)

Difícil? Eu??
Amor oferecido??

HAHAHA!

Bjzz musicais :)

éme. disse...

...
Não tem fotografia, pois não.
Este post, que leio tão tardiamente, vai fazer-me dizer coisas lá no outra vez. A vida é uma coisa estranhíssima, parece-me. O outro lado dela ou a meta dela (como os meus "velhos" alunos um dia sugeriram) é ainda mais estranha ... e, digo eu, mais estranha se a tentarmos ver com os olhos com que olhamos este lado daqui, este que nos é dado conhecer e que tanto baralhamos...
Não?
...

Kraak/Peixinho disse...

Éme :) Tens toda a razão, Éme. Vivemos para morrermos. Nunca sabemos se isto será bom ou naum. Agora o modo como encaramos o "outro lado" é que muda consoante a nossa vida.

Isto é de facto muito estranho e nunca sei até onde me leva a minha mente.

Encaro como uma realidade sem escapatória, mas possivelmente com um bom cenário alternativo... "do outro lado"

O que sei eu?

Bjzz alternativos