2008/03/20

Equinócio da Primavera


Muito me foi dado. Nem as correntes mais agitadas do mar fizeram apagar as chamas que se mantiveram sempre acesas durante alguns anos.

Ontem, ao longe e não à minha janela, as minhas amigas, silenciosas, observavam as espumas que traziam o retrato das nódoas provocadas por algumas cores que libertaram tinta. Cores fingidas que, misturadas com as outras, afogaram os astros presentes diante dos meus e dos teus olhos.

2 comentários:

éme. disse...

Olha, houve aqui uma imagem que me ficou presa na alma da leitura:
a possibilidade de afogar astros nos olhos de um e outro!

Afogar o Sol no olhar um no outro... ou a Lua!
Afogar a alma para, de seguida, respirara tão melhor! :)
Tenho saudades de futuro, é o que é...
Saudades do que ainda não foi

... (desculpa... hoje deu-me para seguir leituras paralelas nas palavras que aqui deixaste...) Prometo voltar a ler-Te Melhor! é que hoje apeteceu-me assim...
:)

Kraak disse...

Éme :) Eu já tinha MESMO saudades tuas! Cada vez que apareces aqui a comentar, sou levado de imediato a esboçar um sorriso de satisfação, naum só pela tua presença, mas também pelas palavras que aqui deixas, porque no fundo ou à superfície, parece traduzires tudo o que escrevo. Acho fantástico!

A ideia de afogar o sol ou a lua ou outro astro qualquer tinha na minha cabeça precisamente que ver com o estado do renascimento da alma a que fui obrigado. Parece que há uma parte de mim que se separa, tipo Yin/Yang.

O velho Kraak/Peixinho deixou de existir para ser apenas Kraak desde há algum tempo. Parece ter havido a morte do Peixinho para que o Kraak pudesse renascer.

E que seja para respirar melhor a alma de ambos os que viram os astros se afogarem.

Tal como tu, sinto saudades naum da antecipação do sofrimento, mas sim do futuro que está para vir! :)

Bjzz no Futuro