2008/02/04

Um Guia Para o Forasteiro

Ao longo de muitos anos, sempre me ensinaste que cada vez que descemos, estamos ao mesmo tempo a subir. Engraçado, não? Nesta etapa algumas coisas caem e outras se elevam. Todo um processo. Toda uma vida. Todo um conjunto que nós próprios não nos apercebemos, excepto apenas quem nos vê de fora dos diagramas.

Mesmo hoje em particular, quando envelheces mais um ano, continuas a dizer-me que a vida é um gesto e que se alguém me quiser raptar que me deixe ir, sobretudo porque segundo as tuas palavras, alcançar a plenitude passa por amar, ajudar os outros e faze-los felizes. O resto é mundano.

Mãe, obrigado pelo esforço que fazes para que eu deixe de sentir o presente. Parabéns a ti!

4 comentários:

IM disse...

As mães...sempre únicas..sempre a tempo...sempre na hora...como se soubessem...
:-)

Carla disse...

parabéns, porque há em nós um pedaço que não nos pertence...esse é sempre das mães.
Que bela dedicatória

Kraak disse...

Im :) As mães sabem tudo! Tu bem deves saber o que é esse sentimento, naum? :))

Bjzz únicos

Kraak disse...

Carla :) Obrigado! Será que haverá algum pedaço que nos pertença efectivamente?? :))

Love Mami! :)

Bjzz com pedaços