2006/07/29

Desabafa Comigo: Hoje Maria João Pires


Todos sabemos que Portugal não é um país com grande exemplo no que se refere ao apoio à cultura. No que bem apoia, também sabemos que esses projectos têm caracter muito duvidoso e chegamos à conclusão que há sempre uns favores por trás e outras coisas que tais. Apoios privados também não existem a não ser que seja algo mediático e sensacionalista.

Também sabemos que os euros não têm abundado muito por cá e também sabemos que poderiam ser empregues de forma diferente. Mas, acho que sou uma pessoa ainda lúcida para perceber que mesmo assim, com todas as dificuldades e com toda a máfia à volta, alguma coisa tem sido feita.
Todos sabemos também da indiscutível qualidade da pianista Maria João Pires e de todo o seu louvável projecto da Associação Belgais. Maria João Pires é sem dúvida uma figura nacional empenhada na divulgação da cultura e internacionalmente reconhecida pela sua maestria nas Artes. O que já não há paciência é para a sua constante lamentação que já dura há não sei quantos anos. Farta de se socorrer de apoios para o seu Projecto em Belgais, está sempre a fazer chantagem com as Entidades nacionais do tipo "se não me ajudam, vou para Espanha", "arranjei financiamento na Caja Duero em Salamanca", etc. As últimas notícias dão conta que agora decidiu fixar residência no Brasil e levar para lá o seu projecto, porque está farta de ser torturada em Portugal.

Fixe-se no seu Projecto e deixe as actividades administrativas para outros seus colaboradores resolverem. Empenhe-se na sua pedagogia e não aparente esse ar de ostracizada quando todo o país sabe que já recebeu vários apoios do Estado. É que ainda por cima só lhe fica mal, mandar bocas foleiras a Portugal quando está no estrangeiro. É o tipo de coisa que os estrangeiros não apreciam de todo, especialmente quando ainda tem que justificar os € 65000 recebidos em 2003 por parte do Estado e quando reconhece publicamente que o Ministério da Educação tem colaborado de forma positiva.

Guarde a sua raiva para quando regressar da recuperação da recente operação que fez e do consequente repouso na sua (nova) casa em São Salvador da Baía, Brasil.

4 comentários:

gaZpar disse...

Concordo totalmente. Já o Saramago é da mesma linha.
Em vez de lutarem pelo seu país contra todas as adversidades optam pelo fácil. E eles até se podem dar satisfeitos por receberem mais apoios que muitos que são igualmente bons, mas que não são tão (re)conhecidos.
A mesma história se passa com a fuga de cérebros. Fogem porque têm mais condições lá fora, é verdade. Mas também não batalham para ficar cá e dignificar o país...
Eu apesar das oportunidades lá fora vou ficando por cá a batalhar, apesar de o meu cérebro por vezes lhe apetecer fugir...

Lid disse...

Viver como artista é um negócio bastante complicado. É cansativo vc esperar apoio e este não chegar, trabalhar muito pelos outros e não ter retorno. Aqui no Brasil acontece o mesmo com os artistas. Por isso também a entendo. Às vezes vc morre lutando pelo seu país e não recebe nenhum retorno por isso e muito menos valorização do seu trabalho. por isso vários artistas se cansam e vão buscar apoio em outro lugar.

Mas coitada dela que vem, será agraciada por um tempo e não dou 1 ano pra ela desistir e procurar outro lugar pra ir! Aqui a cultura também é tratada em 3º plano!

Kraak/Peixinho disse...

GaZpar :) Pois... o Saramago é outro, de facto (e gosto muito da sua escrita!)... mas infelizmente naum saum só estes... E é pena, com certeza. Acho que o país desvaloriza alguns dos seus cérebros e todos nós só temos a perder com isso, quer seja na Investigação quer seja nas Artes. Agora esse muro de lamentações é que naum há pachorra. Embora lá semear mal as batatas, assim como assim há de vir uma geada ou uma tempestade e podemos receber guita da UE.

Hugzz atlânticos :P

Kraak/Peixinho disse...

Lid :) Tens toda a razão. Sabemos como é a vida dos artistas... de facto naum é nada fácil. Apoios, subsídios, patrocínios, ... termos que tornam a chegar às suas mãos. No caso em questão, a Maria João Pires é uma pianista muito reconhecida, não só em Portugal como em todo o Mundo. E ela tem tido vários apoios de alguns quadrantes da sociedade portuguesa. Acho que este tipo de peditório já está enraizado na cultura lusa. Há centenas de anos... Pode ser que ela fique pelo Brasil. Olha a tua sorte!!

Bjzz baianos