2005/11/10

A Pobreza das Palavras

Há palavras que soam como caídas no vácuo de um buraco. São tão pobres, tão vazias de significado, tão obsessivas e defuntas ao mesmo tempo. Não surpreendem, pois são vozes febris. Uma linguagem que não se vê, uma árvore que perdeu a sua raíz, uma semântica que não se lê, uma sintaxe que não se sente. Pobres como o lixo. Persistentes como a morte já sem argumentos. Rastejantes como eram estas cobras
que agora são aqui servidas fritas.


NHAM NHAM! Tão bom :)

2 comentários:

Cadelinha Lésse disse...

És tão engraçado!

Bom fds

Kraak/Peixinho disse...

Lésse :) Sou? What's so funny? LOLL. Engraçado como? Gostas de cobra frita? Hehe :)

Bjzz engraçados