2005/10/19

O estado da saúde

Após alguns momentos de tensão relatados aqui, eis que já me encontro mais calmo e pronto para relatar o que de facto aconteceu. Para já quero agradecer aos amigos que por este blog passaram e que me telefonaram ou mailaram ou smsaram para saber como estava a minha mãe.

Na realidade, no passado dia 18 a minha mãe iria sofrer uma intervenção cirúrgica. Tudo definido há já algum tempo, entra no Hospital Egas Moniz na véspera e antes de dormir, vai uns comprimiditos para o bucho. No dia a seguir, mais alguns para a preparação da anestesia. A cirurgia estaria marcada para as 11h30m. Pelas 12h15, ligo ao meu pai para saber novidades e eis que sou surpreendido pela notícia de que a minha mãe não seria operada nesse dia e que estaria à espera que o meu pai a fosse buscar. Sabendo eu que obviamente este tipo de coisas pode ocorrer, rapidamente bazei do trabalho em direcção ao hospital para saber o que se havia passado e quando lá chego encontro o seguinte cenário:

- No refeitório (pois a minha mãe foi corrida do quarto) encontro a minha mãe encostada ao colo do meu pai como se estivesse inconsciente, sentados cada um numa cadeira;
- A TV aos berros assim como as auxiliares e as próprias enfermeiras;

O meu pai diz-me então que estariam à espera do Sr. Dr. que ali apareceria para lhes dar uma explicação. Ali estive meia hora à espera e os meus pais já ali estariam há pelo menos uma hora. Eis que decido saber da Enfermeira-Chefe para pelo menos dar-me uma almofada para levar à minha mãe. Eis quando sai da sua casota (sim porque aquela mulher seria um animal falante) a dizer que "a senhora que não foi operada já teria ido embora e a perguntar o que quereria o filho".

Passanço #1: - Não, Srª Enfermeira, a minha mãe está completamente drogada ali no refeitório à espera do médico que não aparece e julgo que a senhora deveria sabe-lo. E QUERO uma almofada para a minha mãe, sff. [já estava a falar alto e furioso]. O que é um facto é que mudou logo o seu irritante tom de voz e lá foi sacar da almofada armada em preocupada com a minha mãe a perguntar se ela estaria bem, informando com antecedência que não lhe fizesse perguntas porque não poderia responder pelo Sr. Dr.

Almofada nas mãos, lá ficou pelo menos mais confortada a minha mãe. Mais 45 min e aparece a auxiliar aos gritos a dizer à minha mãe para se sentar à mesa para comer. Enfim, a minha mãe, que mal quase abria os olhos. A muito custo, sentou-se à mesa, até que apareceram um médico e uma outra enfermeira a chamar pela minha mãe (ela tinha que sair da sala porque seria uma baixeza muito grande ao chavaleco do sr. dr. entrar no refeitório).

Passanço #2: - Mas o que é isto? A minha mãe é que tem que se levantar para falar consigo?

Enfim, a arrogância do médico era de tal ordem que nem sequer aqui vou descrever. Ao fim de 3 minutos,

Passanço #3: - O Sr. Dr. é que parece zangado com alguma coisa. Afinal quero saber se o seu colega só hoje é que viu o diagnóstico da minha mãe ou se houve um problema no bloco operatório. O Sr. Dr. é da equipa?
- Meu caro senhor (mudando o tom de voz) houve um problema no bloco e eu estava nas urgências e o meu colega pediu-me para cá passar para dar alta à sua mãe.

Enfim, só para dizer que a minha mãe terá que lá voltar no dia 31 para marcar nova operação! LOL! Não lembra!

Tenho a impressão que ainda lá vou voltar antes desse dia e apresentar uma reclamação por escrito.

[Afinal aqueles mailes que recebemos a relatar coisas nos Hospitais portugueses ocorrem mesmo!]

16 comentários:

membio disse...

realmente tb já ouvi histórias dessas, e uma delas já se passou com uma vizinha minha, é incrível o que se passa nalguns hospitais!!! Desejo-te que corra tudo bem para a tua mãe...

Kraak/Peixinho disse...

Membio :) Obrigado! De facto, já tinha ouvido umas histórias estranhas também. Absolutamente absurdo. O que aconteceu na realidade foi alguma cunha que foi operada no lugar da minha mãe. Enfim!

Hugzz incríveis

Mendes Ferreira disse...

beijos. doces. com um abraço dentro a madrugada. e estou. onde sabes. para tudo.

gonn1000 disse...

Pois, casos desses são mais comuns do que se pensa, infelizmente. De qualquer forma, as melhoras ()

Pinto Ribeiro disse...

às vezes ainda é pior, acredita. 1 abraço.

Fernanda Carvalho disse...

Peixinho... passou-me ao lado, sorry! O tempo n tem sido mto para navegar por estes mares.
Realmente que cena mais marada essa que aconteceu à tua mãe. E não fizeste reclamação por escrito? Comigo não ficava assim, podes crer! E qdo pensares que as reclamações por escrito, c/c para os diversos organismos de saúde não funciona, pensa novamente pois eu já tive provas em como funciona mesmo. O problema é que ninguém acredita que resulte e por isso ninguém se dá ao trabalho.
Vá toca a reclamar!
Beijocas e as melhoras da tua mamy!
~º(",)º~
Fernanda

musikfreak disse...

Miúdo, não deixes mesmo a coisa ficar por aqui. Para além de tudo o que aconteceu (já por si suficientemente grave, especialmente aquela de esperar num refeitório!!!), vocês é que ainda têm de voltar ao hospital, não para que a operação se efectue (que seria o mínimo esperado)mas para marcar outro dia para a operação????? Onde é que nós estamos?????

Aguarela disse...

Realmente tb tenho a mesma opinião, deves reclamar por escrito. Nem devias ter saído sem reclamar. Também é importante saber nomes. Espero que tudo corra bem!

Aguarela

O Puto disse...

Lamento tudo o que se passou, mas infelizmente os nossos hospitais são tudo menos exemplares. E acho que deves reclamar e expôr a tua indiganação.
Espero que corra tudo bem à tua mãe da próxima vez.
Abraço!

Formiguinha disse...

Que merda de atendimento! As melhoras da tua mãe e que a cirurgia corra pelo melhor. Estou a torcer!

gaZpar disse...

Que tudo corra bem. ;)

Kraak/Peixinho disse...

Mendes Ferreira :) Obrigado pelo apoio. Eu sei onde te encontrar. :)

Bjzz doces

Kraak/Peixinho disse...

Gonn1000, Pinto Ribeiro :) :) Obrigado pelas v/ palavras. E acredito que há casos bem piores e que em nada são comparáveis.

Hugzz confortados

Kraak/Peixinho disse...

Fernanda Carvalho, Musikfreak, Aguarela, Puto :) :) :) :) Tal como anteriormente disse, um muito obrigado pelas v/ palavras de conforto. Acreditem que na altura não foi fácil suportar a situação. Mas sobre a reclamação, acho que sim. Vós tendes todos razão, mas eu naquele dia só queria era pisgar-me rapidamente do hospital e tirar a minha mãe daquela situação insólita :S A ver vamos o que se vai passar na próxima 2ª feira.

Hugzzz aos 4

Kraak/Peixinho disse...

Formiguinha :) Podes crer! Uma verdadeira merda! Mas o pessoal dos hospitais é mesmo assim. Completamente insensíveis e a trabalhar sob um stress que presumo verdadeiro. Obrigado pela tua força!

Bjzz

Kraak/Peixinho disse...

Gazpar :) Obrigado pelos teus votos! Espero bem que tudo corra pelo melhor!

British Hugzz